Aside

Nesse artigo vamos aprender como o DSpace utiliza e como criar um vocabulário controlado e utilizar num formulário do repositório. Esse tutorial foi feito com base na Wiki do DSpace.

Configurando vocabulários controlados

Os vocabulários controlados são usados para limitar o conjunto de palavras-chave que os usuários podem usar para descrever itens. A limitação desse conjunto de palavras-chave é importante para eliminar a ambiguidade de um sistema de decsrição livre, para simplificar a tarefa de localizar itens de informação específicos. Os vocabulários controlados permitem que o usuário escolha entre um conjunto definido de palavas-chave organizados em uma árvore (taxonomia) e, em seguida, usar essas palavras-chave para descrever os itens enquanto eles estão sendo submetidos.

As taxonomias são descritas num XML seguindo a estrutura abaixo:

<node id="acmccs98" label="ACMCCS98">
    <isComposedBy>
        <node id="A." label="General Literature">
            <isComposedBy>
                <node id="A.0" label="GENERAL"/>
                <node id="A.1" label="INTRODUCTORY AND SURVEY"/>
                ...
            </isComposedBy>
        </node>
    ...
    </isComposedBy>
</node>

Você é livre para usar qualquer aplicativo para criar seus vocabulários controlados. Um editor de texto simples deve ser o suficiente para pequenos projetos. Projetos maiores exigirá ferramentas mais complexas. Você pode usar Protegé para criar suas taxonomias, salvá-los como OWL e, em seguida, usar uma folha de estilo XML (XSLT) para transformar os seus documentos para o formato apropriado.

Novos vocabulários devem ser armazenados no diretório [dspace]/config/controlled-vocabularies/e precisa estar de acordo com a estrutura descrita.

Os vocabulários precisam estar associados com o campo de metadado DC correspondente. Editeo arquivo [dspace]/config/input-forms.xml e coloque uma tag “vocabulary” dentro do elemento “field” que você deseja ter o controle. Sete o valor do elemento “vocabulary” com o nome do arquivo xml que contém o vocabulário sem a extensão (o add-on carregará somente arquivos “*.xml”). Por exemplo:

<field>
    <dc-schema>dc</dc-schema>
    <dc-element>subject</dc-element>
    <dc-qualifier></dc-qualifier>
    <repeatable>true</repeatable>
    <label>Subject Keywords</label>
    <input-type>onebox</input-type>
    <hint>Enter appropriate subject keywords or phrases below.</hint>
    <required></required>
    <vocabulary>srsc</vocabulary>
</field>

O elemento vocabulário tem um atributo closed (booleano e opcional) que pode ser usado para forçar a inserção somente com o Javascript do add-on de vocabulário controlado. O comportamento padrão é closed=”false”, que permite que o usuário entre com um texto livre.

Os seguintes vocabulários estão disponíveis por padrão:
nsi –nsi.xml – The Norwegian Science Index
srsc –srsc.xml – Swedish Research Subject Categories

Mão na massa

Após a explicação de como o DSpace trabalha vamos ao processo. Primeiramente, criaremos o arquivo assunto.xml salvaremos na pasta [dspace]/config/controlled-vocabularies/

<?xml version="1.0" encoding="UTF-8"?>
<node id="assunto" label="Assuntos">
    <isComposedBy>
        <node id="A." label="Humor">
            <isComposedBy>
                <node id="A.0" label="Geral"/>
                <node id="A.1" label="Infantil"/>
            </isComposedBy>
        </node>
        <node id="B." label="Ficção Científica">
            <isComposedBy>
                <node id="B.0" label="Viagem no tempo"/>
                <node id="B.1" label="Vida extraterrestre"/>
            </isComposedBy>
        </node>
        <node id="C." label="Terror">
            <isComposedBy>
                <node id="C.0" label="Histórias de Fantasmas"/>
                <node id="C.1" label="Mitos"/>
            </isComposedBy>
        </node>
    </isComposedBy>
</node>

Agora vamos alterar formulário de entrada através do arquivo input-forms.xml input localizado na pasta[dspace]/config/. Nesse caso vamos mapear o campo dc.subject para utilizar o nosso vocabulário controlado.

<field>
    <dc-schema>dc</dc-schema>
    <dc-element>publisher</dc-element>
    <dc-qualifier></dc-qualifier>
    <repeatable>true</repeatable>
    <label>Editora (Publisher)</label>
    <input-type>onebox</input-type>
    <hint>Digite o assunto ou selecione-o abaixo.</hint>
    <required></required>
    <vocabulary>assunto</vocabulary>
</field>

Após a finalização das alterações, reinicie o servidor web e inclua um item numa coleção para ver o formulário alterado.

Advertisements

Adicionando um vocabulário controlado no DSpace

Instalação do DSpace 4.1 em sistemas Ubuntu like

Após o lançamento da versão 4.1 do DSpace em 03/03/2014, resolvi criar uma máquina virtual para testar a estabilidade e novas funcionalidades da versão.

Devido ao processo de instalação ser um pouco difícil chato, com diversas configurações para se fazer e tudo mais (como já havia publicado nos Slideshare http://www.slideshare.net/royopa1/instalao-dspace-3x-windows-e-linux), resolvi criar um script para instalação de forma quase que automática do DSpace. Para esse processo utilizei como base o artigo DSpace LiveCD da Wiki do DSpace, https://wiki.duraspace.org/display/DSPACE/LiveCD.

Esse projeto está no GitHub (https://github.com/royopa/dspace-auto-install/), então quem tiver interesse de melhorá-lo, adequá-lo conforme as suas necessidades fiquem à vontade!.

1º Passo – Baixar uma imagem do Ubuntu

Para evitar o processo de instalação do Linux foi baixada uma imagem do XUbuntu, localizada no site Virtual Box Images, conforme abaixo:

Xubuntu 12.04 codename Precise Pangolin
Size (compressed/uncompressed): 502.2 MBytes / 2.6 GBytes
Active user account(s) (username/password): xubuntu/reverse

Após ter a máquina virtual baixada e funcionando siga para os próximos passos. Esse artigo não tem a intenção de ensinar como criar uma máquina virtual, mas procurando no Google você verá que o processo é bem fácil.

2º Passo – Baixar os arquivos/scripts para instalação do DSpace

Baixe os arquivos para a instalação do DSpace e extraia-os numa pasta no diretório home da máquina virtual.

3º Passo – Alterar os parâmetros de instalação

Altere e salve os arquivos abaixo, localizados na pasta que você extraiu no passo acima, com os parâmetros que você deseja.

No meu caso eu utilizei como servidor de e-mail o Gmail, portanto caso você utilize uma conta do Gmail também basta alterar o endereço de e-mail e a senha pelos dados da sua conta.

build-dspace (altere para a versão do DSpace que se deseja instalar)

VERSION_DSPACE="4.1" 

build.properties

dspace.name = DSpace
default.language = pt_BR

dspace.cfg

dspace.name = DSpace
default.language = pt_BR
mail.server=smtp.gmail.com
mail.server.username = treinamento.dspace@gmail.com
mail.server.password = yourPassword
mail.extraproperties = mail.smtp.socketFactory.port=465, \
mail.smtp.socketFactory.class=javax.net.ssl.SSLSocketFactory, \
mail.smtp.socketFactory.fallback=false
mail.from.address = treinamento.dspace@gmail.com
feedback.recipient = treinamento.dspace@gmail.com
mail.admin = treinamento.dspace@gmail.com
alert.recipient = treinamento.dspace@gmail.com
registration.notify = treinamento.dspace@gmail.com

4º Passo – Iniciar o processo de instalação

Abra o terminal, vá até a pasta onde os arquivos estão localizados e execute o script de instalação:

$ ./build-dspace

Algumas vezes o script solicitará a senha do root ou alguma confirmação, basta responder a solicitação que o script continua sem problemas.

Esse processo baixa todas as depêndencias necessárias, instala e compila o DSpace, portanto é um processo um pouco demorado, dependendo da velocidade da sua conexão de internet.

Caso tenha ocorrido tudo bem, será exibida uma mensagem Build completed! 

Pronto, o DSpace está instalado, basta acessar através do endereço: http://localhost:8080/xmlui por exemplo.

O usuário administrador criado foi o dspace com a senha dspace.